Uma coisa pensa o cavalo Outra quem está a montá-lo

.posts recentes

. FORA DA BOUÇA QUE A BOUÇA...

. MIGUEL DE VASCONCELOS, ES...

. TAIPAS: CAPITAL, TRÊS PON...

. MALHARAM NO TINO

. COM PAPAS E BOLOS

. O ARMANDO ANDA DESPIDO E ...

. PIMENTA NO C* DOS OUTROS ...

. ANDAM A DEITAR FORA O NOS...

. OS BOYS CÁ DA TERRA

. GAMADO

.arquivos

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

Quinta-feira, 9 de Agosto de 2007

FLUXOGRAMA DE UM GOLPE QUASE PERFEITO

Primeiro, semearam a desordem nas ruas, inventando peticionários e majores de bonecreiros.

Mais tarde, forçaram o primeiro-ministro legítimo à demissão e prometeram a paz nas ruas.

Depois, forjaram acusações e inventaram queixas-crime a esmo.

 

Mas nada disso bastou para ganharem as eleições. Por isso foi preciso interpretar de forma habilidosa a Constituição e sem dar oportunidade ao partido mais votado, investiram numa coligação criada a preceito.

 

Falta declarar proscrito o partido vencedor das eleições, para consolidarem o golpe que desde há dois anos tecem laboriosamente, laboratorialmente. Um destes dias, quem sabe se a Fretilin vai ser equiparada a um "grupo terrorista" pelos EUA, imediatamente secundados pela UE, colocando a pedra necessária à fundamentação política do golpe e legitimando o seu afastamento coercivo do Poder.

 

Ai Timor!


publicado por igrejavelha às 15:58

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Quarta-feira, 8 de Agosto de 2007

PERÍMETRO DAS TAIPAS, O QUE É?

Há dias, dois cidadãos travaram-se de razões à mesa do café. Um, defende a passagem das Taipas a concelho, desenhando um mapa imaginário do respectivo território, o qual se estenderia S. Clemente de Sande a Donim, sem esquecer as terras de Prazins.

O outro contestava-o e, puxando do seu berço, declarava para quem o queria  ouvir - e para quem não queria, também - que nunca fora consultado sobre a integração e desconhecia que a sua freguesia natal alguma vez quisesse fazer parte do novo município, porque o assunto jamais fora tratado nos sítios apropriados para ouvir a voz do povo.

Não vem mal ao mundo, nem às Taipas e arredores, por se debater a autonomia. Ainda vivemos em democracia e cada um é livre de expor, defender e divulgar as suas opiniões, salvo se for for funcionário público. Aliás, basta frequentar as reuniões da assembleia de freguesia para em cada uma delas ouvir suspiros pelo concelho das Taipas, normalmente escutados com tolerância e pachorra.

O que me surpreendeu na tal discussão foi um argumento para o qual até hoje não encontro resposta! Perguntava o defensor do concelho ao outro: você sabe o que é o perímetro das Taipas, sabe? Na escola não lhe ensinaram o perímetro das Taipas, não?

Eu, que andei na Escola do Pinheiral, nunca tal houvera ouvido. Quem me pode esclarecer?


publicado por igrejavelha às 16:52

link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 7 de Agosto de 2007

QUIM VILAS

O Quim Vilas é um cidadão atento ao que se passa na sua - e nossa - terra comum: as Taipas.

É bairrista quanto baste, o que não faz dele nem cego nem surdo. Por opção, respeitável, não se matriculou até agora em partido nenhum, tanto quanto me é dado saber e também terá recusado integrar qualquer lista candidata à freguesia, porque ele é um bom rebelde que preza a sua independência acima do mais.

Mas independência não quer dizer indiferença e o Quim exerce como poucos o seu direito a intervir onde e quando julga ter alguma coisa para dizer aos seus concidadãos. Bem haja por isso.

De há uns tempos a esta parte, o Quim tem sido assediado por quem não lhe chegando aos calcanhares, em verticalidade, dedicação desinteressada e solidariedade, não lhe perdoa nem desculpa a denúncia pertinente e fundamentada. Apesar dos ataques infantis, o Quim continua vivo e actuante nos sítios do costume.

O Quim às vezes parece que vacila. Vacila mas não cai, para bem de uma vivência democrática nas Taipas.


publicado por igrejavelha às 15:23

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Quinta-feira, 2 de Agosto de 2007

BANCOS DE PEDRA

À porta da sede da Junta das Taipas estão, faz muito tempo, dois cubos de pedra trabalhada. No recinto da feira, empilhados, jazem muitos outros igualmente novinhos em folha. Dizem que são bancos encomendados pelo presidente, ainda sem destino.

Custa a perceber! Então o presidente não sabia onde colocar os bancos antes de os encomendar?  Isso não cabe na cabeça de ninguém e tem de haver uma outra explicação.

Bati a várias portas, na ânsia de satisfazer a minha curiosidade natural e o mais que saquei foi que as pedras se destinavam à feira, mas não foram e ao que me disseram não vão ser lá colocadas porque o dono da feira, que como se sabe é a Câmara Municipal de Guimarães, não foi tida nem achada na compra e, pior do que isso, discorda da ideia do presidente da Junta.

Assim se gasta (mal) o dinheiro dos contribuintes. Em vez da Junta pagar a factura, bom seria que o presidente e quem aprovou o negócio o pagassem do seu bolso, para aprenderem a não mandar senão no que é seu.


publicado por igrejavelha às 15:38

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.links

.Fazer olhinhos

blogs SAPO

.subscrever feeds